APRENDA A ESCREVER NA AREIRA

(Parábola Síria)

Dois amigos faziam uma viagem e chegaram juntos à margem dum rio que deviam atravessar. Chamemos os amigos de Mussa e Nagib. Em determinado momento Nagib ao tentar atravessar o rio, escorregou e caiu. Morreria afogado se Mussa não o tivesse heroicamente salvo. Nagib chamou seus servos e mandou gravar nas pedras à margem do rio: “Neste lugar, Mussa, num ato de heroísmo, arriscando a própria vida, salvou a vida de seu amigo Nagib”. Depois disso fizeram a viagem e quando voltaram, naquele mesmo lugar onde estava gravada a honrosa legenda, tiveram uma discussão qualquer e Mussa esbofeteou Nagib. Que fez Nagib, que faria qualquer um de nós ao receber tão grave insulto? Nagib não revidou a ofensa. Pegou o seu bastão e escreveu: “Neste lugar Mussa, por motivo fútil, insultou gravemente o seu amigo Nagib”. Os servos estranharam e protestaram: “Senhor quando ele praticou um ato heróico o senhor mandou gravar na pedra. Quando ele praticou uma infâmia, uma torpeza o senhor escreve na areia; em breve isso desaparecerá, o vento o apagará, ao passo que aquele ato heróico ficará gravado na pedra para sempre, ficará na lembrança de todos que passarem por aqui”. Nagib limitou-se a responder: “Pois é isto mesmo que eu quero que aconteça. Quero que aquele ato heróico que ele praticou nunca saia da minha lembrança, mas que essa torpeza, assim como o vento apaga o escrito na areia, bem cedo se apague também do meu coração”. Para que possamos ser felizes na vida, precisamos aprender a gravar na pedra as atenções, finezas, amabilidades que recebemos e escrever na areia todas as ingratidões, perfídias e intrigas que nos fizerem. Aprende isto e serás feliz.